sábado, janeiro 16, 2021

Concessão de incentivo na redução de imposto provoca desigualdade entre regiões

O Tribunal de Contas da União (TCU) fez fiscalização no Ministério do Desenvolvimento Regional e nas Superintendências do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) e da Amazônia (Sudam). O objetivo da auditoria foi verificar a regularidade do processo de concessão de incentivos fiscais de redução do imposto sobre a renda e adicionais não restituíveis.

Além disso, o trabalho buscou identificar os principais riscos que possam impactar o alcance dos resultados esperados com o uso dessa concessão, considerada instrumento de financiamento do desenvolvimento regional.

Entre as principais constatações da auditoria estão: deficiências nas atividades de monitoramento e avaliação de resultados e impactos dos incentivos; ausência de estudos técnicos atualizados para subsidiar a definição dos setores da economia considerados prioritários para o desenvolvimento regional; e deficiências nas rotinas administrativas de verificação da documentação fiscal e contábil das empresas beneficiadas.

O trabalho constatou que as áreas mais desenvolvidas dentro das regiões conseguem atrair a maior parte dos incentivos. Há forte desigualdade intrarregional entre as medidas voltadas exclusivamente para as regiões do Norte e Nordeste. Ou seja, muitos municípios de baixa renda não são abrangidos por essas políticas, o que resulta na manutenção do quadro de estagnação e de subdesenvolvimento.

Não há, ainda, estudos que fundamentem a definição dos setores econômicos prioritários para fins de recebimento dos benefícios.

Também a falta de rotina de controle foi observada pela auditoria, com apenas parte das empresas beneficiadas encaminhando periodicamente as informações obrigatórias. Em vários casos, a análise dos documentos ocorre apenas quando há novo pleito de incentivo e a declaração de regularidade relativa aos anos anteriores é necessária.

Por fim, o Tribunal verificou que as informações contábeis são registradas e armazenadas na Sudene em papel, apesar de os registros das empresas beneficiadas já integrarem o Sistema Público de Escrituração Digital. Para o relator do processo, ministro Aroldo Cedraz, “essa situação é um retrocesso para as empresas incentivadas, que as mantém acorrentadas ao passado analógico, mesmo quando já dispõem das informações digitais”.

O Tribunal fez determinações e recomendações aos órgãos para a melhoria dos processos.

Serviço

Leia a íntegra da decisão: Acórdão 4056/2020 – Plenário

Processo: TC 030.747/2019-8

Related Articles

Confira o resultado preliminar da 2ª fase do XXXI Exame de Ordem Unificado

A OAB Nacional, por meio da Coordenação Nacional do Exame de Ordem Unificado, e a Fundação Getulio Vargas, divulgaram, nesta segunda-feira (11), o resultado...

OAB solicita ao CJF que esclareça a Caixa sobre o pagamento de precatórios e RPV’s

A OAB Nacional encaminhou ofício para o presidente do Conselho da Justiça Federal (CJF), ministro Humberto Martins, solicitando que seja feito um esclarecimento junto...

Prouni 2021.1: inscrições seguem abertas

Estão abertas as inscrições para o processo seletivo do Programa Universidade para Todos (Prouni) referente ao primeiro semestre de 2021. Os podem se inscrever...

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Stay Connected

0FansLike
2,441FollowersFollow
0SubscribersSubscribe
- Advertisement -

Latest Articles

Confira o resultado preliminar da 2ª fase do XXXI Exame de Ordem Unificado

A OAB Nacional, por meio da Coordenação Nacional do Exame de Ordem Unificado, e a Fundação Getulio Vargas, divulgaram, nesta segunda-feira (11), o resultado...

OAB solicita ao CJF que esclareça a Caixa sobre o pagamento de precatórios e RPV’s

A OAB Nacional encaminhou ofício para o presidente do Conselho da Justiça Federal (CJF), ministro Humberto Martins, solicitando que seja feito um esclarecimento junto...

Prouni 2021.1: inscrições seguem abertas

Estão abertas as inscrições para o processo seletivo do Programa Universidade para Todos (Prouni) referente ao primeiro semestre de 2021. Os podem se inscrever...

Vereador Dinho deixa a Câmara e suplente assume

Na Câmara Municipal de Campina Grande, nesta quarta-feira (06), o primeiro suplente foi empossado, Rubens Nascimento (DEM). Passará a ocupar a vaga...