quinta-feira, novembro 26, 2020

Home Brasil Saúde investe R$ 369 milhões para reforçar identificação de casos de Covid-19

Saúde investe R$ 369 milhões para reforçar identificação de casos de Covid-19

O Ministério da Saúde destinou R$ 369 milhões para reforçar a rápida identificação de pessoas que tiveram contato com casos suspeitos e confirmados de Covid-19. O objetivo é fortalecer a resposta ao enfrentamento da doença. A iniciativa também permite a articulação de ações integradas dos serviços de saúde, em especial da vigilância e da assistência em saúde.

Mais próxima da população por possuir unidades de saúde espalhadas por todo o País, a Atenção Primaria à Saúde (APS) oferta ações capazes de conter a transmissibilidade do coronavírus e reduz a circulação de pessoas com sintomas leves nas urgências ou hospitais.

“A integração das ações da Vigilância em Saúde e Atenção Primária à Saúde vão fortalecer a resposta ao enfrentamento da Covid-19. Esse trabalho conjunto é essencial para detectar oportunamente os indivíduos infectados com vistas à interrupção da cadeia de transmissão, além de reduzir o contágio e casos novos”, explicou o secretário de Atenção Primária à Saúde, Raphael Parente. O reforço no monitoramento busca também ampliar a notificação pelos sistemas de informação do Ministério da Saúde e investigação dos casos suspeitos.

As medidas foram construídas em conjunto pelas secretarias de Atenção Primária à Saúde (Saps) e de Vigilância em Saúde (SVS), com o apoio da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (Sgtes). Outro objetivo da ação é que as informações sobre a transmissibilidade da Covid-19 possibilitem aos gestores analisar regularmente a situação epidemiológica local relacionada à Covid-19 para subsidiar o planejamento assistencial e sanitário da Rede de Atenção à Saúde (RAS).

Incentivo financeiro

O recurso federal será transferido em parcela única e calculado em relação ao quantitativo de profissionais por município e Distrito Federal, estabelecido no Anexo II da Portaria nº 2.358, de 2 de setembro de 2020.O valor considerado para cálculo da parcela única será de R$ 6 mil por profissional.

As categorias profissionais que podem contribuir com o monitoramento dos casos são: médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliar de enfermagem, agente comunitário de saúde, agente de combate às endemias, médico veterinário, agente de saúde pública, cirurgião-dentista, auxiliar ou técnico em saúde bucal, assistente social, profissional de educação física na saúde, fonoaudiólogos, terapeuta ocupacional, sanitarista, educador social, psicólogos e psicanalistas, fisioterapeutas, nutricionistas, farmacêuticos, microscopista, biólogo e biomédicos.

Com informações do Ministério da Saúde

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisment -

Most Popular

Organizações apresentam plano de implementação do Projeto Integrar

O Tribunal de Contas da União (TCU), a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Comitê Técnico da Educação do Instituto...

Agricultura bate recorde em benefício de grãos e na produção de silagem

As ações de aração de terras executadas pela Prefeitura em todas as áreas rurais do município, por meio da Secretaria de Agricultura (Seagri), ajudadas...

Guarda Civil Municipal intensifica atividades no final de ano

As atividades da Guarda Civil Municipal estão sendo intensificadas, neste final de ano, com o objetivo de oferecer mais tranquilidade aos campinenses...

OAB debaterá legislação do setor elétrico

A OAB Nacional, por meio da Comissão Especial de Assuntos Regulatórios, promoverá o evento virtual “Agenda Legislativa do Setor Elétrico”. O debate com...

Recent Comments

John Doe on TieLabs White T-shirt