Debatidas ações para redução de acidentes com motocicletas

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), através da Comissão de Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente, realizou audiência pública para debater o elevado número de acidentes envolvendo motocicletas no Estado. Durante a sessão, proposta pelo deputado Eduardo Carneiro (PRTB), vários representantes de órgãos de trânsito e de Justiça discutiram soluções para o enfrentamento do tema.

Para Eduardo Carneiro, a diminuição dos índices de acidentes de trânsito, além da preservação da vida, pode contribuir também para a economia do Estado. “Hoje se observa um grande e crescente número de acidentes de motos, o que ocasiona uma série de mortes no trânsito. Além de tudo isso, existe o problema do aumento de internações em hospitais de emergência e trauma da Paraíba, sendo um impacto financeiro muito forte, num momento tão difícil de crise, no qual precisamos, cada vez mais, diminuir esse tipo de gasto”, afirmou.

De acordo com dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF), até o dia 18 de setembro deste ano, foram registradas nas rodovias federais da Paraíba 95 vítimas fatais em acidentes de trânsito. Deste total, 51 mortes envolveram motociclista ou passageiro da moto, o que representam 53% do total de óbitos registrados. Já o número de pessoas feridas em acidentes com motocicletas em rodovias federais este ano é de 635 vítimas, leves ou graves. Esse número representa 64,33% do total de pessoas feridas em acidentes de trânsito nas rodovias da Paraíba.

O chefe do Núcleo Regional de Prevenção de Acidentes da PRF, Ricardo Diniz, apontou que, embora os acidentes de maior gravidade tenham ocorrido com mais frequência, o número de óbitos no trânsito vem caindo. “A Paraíba vem saindo de um índice de acidentes, que era o 10º pior do país. Em João Pessoa, o trecho mais complicado para nós é entre o KM-17, no Hospital de Trauma, até o KM-27, próximo ao Parque de Exposições, que é um local onde há um grande fluxo de deslocamento sazonal entre as cidades de Santa Rita e Bayeux, concentrando a maior quantidade de veículos, principalmente de motos”, explicou.

O procurador de Justiça do Ministério Público da Paraíba (MPPB), Valberto Lira, destacou que o órgão tem elaborado um projeto para assegurar que as normas das leis de trânsito sejam cumpridas pelos municípios. “Estamos criando, no âmbito da região metropolitana, um fórum envolvendo o Batalhão de Trânsito (BPTran), o Departamento de Estradas e Rodagens (DER) e a PRF, para que nós, efetivamente, realizemos uma ação de impacto. É inadmissível que tenhamos hoje quase 50% da nossa frota, seja de quatro ou duas rodas, transitando de forma irregular, devido a problemas de renovação de licenças”, ressaltou.

De acordo com o diretor de Operações de Trânsito da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana em João Pessoa (Semob-JP), Cristiano Queiroz, é fundamental que os motoristas tenham responsabilidade e prudência ao conduzir veículos. “A situação é preocupante porque multa, muitas vezes, não resolve. Recebi uma informação do Hospital de Trauma que em torno de 60% das vítimas de trânsito retornam em menos de um ano. Então, a Assembleia está de parabéns por essa iniciativa, juntando forças no combate a esse problema, que também é de saúde pública”, declarou.

Já o gerente de Transportes do DER, Fleming Cabral, alertou para importância de campanhas para a conscientização da sociedade sobre a utilização dos equipamentos necessários no trânsito. “O DER vem fazendo campanhas educativas e um trabalho efetivo nas rodovias estaduais. Não conseguimos estar em todo o estado, mas fazemos uma logística de atuar onde acontecem mais acidentes. Um dado importante é que já há quatro anos, nas rodovias que são fiscalizadas pelo DER, de forma integrada com a PRF, o BPTran e o Corpo de Bombeiros, não registramos aumento do número de acidentes durante o período carnavalesco e nem no São João”, concluiu.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *