Defesa Civil mantém ação preventiva no centro comercial

A Defesa Civil de Campina Grande trabalha, há quatro meses, na fiscalização preventiva das marquises existentes da área central e comercial da cidade. O objetivo é evitar possíveis acidentes.

Nos últimos quatro meses já foram fiscalizadas cerca de 200 marquises. Mas a estimativa é de que centro e áreas da Feira Central existam cerca de 350 marquises. O trabalho é desenvolvido em conjunto com um fiscal de obras e um engenheiro, ambos da Secretaria de Obras da Prefeitura de Campina Grande.

Para cada marquise fiscalizada é feita a verificado do nome do responsável pelo imóvel, para a devida notificação e orientação sobre o processo de reforma e manutenção.

Segundo Jean Medeiros, que está à frente da fiscalização da Defesa Civil, o trabalho é realizado uma vez por semana com a participação de integrantes da Secretaria de Obras (Secob). Jean esclareceu ainda, que as notificações e multas são de responsabilidade do fiscal da Secob.

Conforme a coordenação da Defesa Civil, quando constatada que a situação da marquise requer reformas de urgência, a equipe de fiscalização concede prazo de 15 dias para o proprietário do imóvel solucionar o problema, retirando o risco de desabamento. Jean Medeiros esclareceu que, quando não é constatado risco grave, o prazo estipulado é de 30 até 40 dias para a realização de uma reforma preventiva.

O coordenador da Defesa Civil, Ruiter Sansão, disse que o trabalho preventivo é realizado diariamente na cidade, com a fiscalização da estuturas de prédios e a verificação de riscos de queda de árvores.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *