sábado, novembro 28, 2020
Home Justiça CNJ define temas de nova edição da Série Justiça Pesquisa

CNJ define temas de nova edição da Série Justiça Pesquisa

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu os temas das pesquisas que o órgão financiará a partir de 2019 no âmbito da quarta edição da Série Justiça Pesquisa. Os eixos temáticos abordam questões de alta relevância para o Poder Judiciário e para sua interação com a sociedade. As pesquisas serão iniciadas este ano e serão concluídas em 2020.

Os temas selecionados pelo CNJ, em debate com os membros do Conselho Consultivo do Departamento de Pesquisas Judiciárias (DPJ/CNJ), são: Diagnóstico da situação do negro no sistema de Justiça; Impactos da atuação do Poder Judiciário sobre a política pública previdenciária; Desjudicialização e cartórios extrajudiciais; Impacto do sistema de precedentes e casos repetitivos, participação e mecanismos de gestão; Diagnóstico sobre os índices de retorno ao sistema prisional e de execução de medidas socioeducativas; Cobertura criminal dos meios de comunicação e seus impactos na superlotação e superpopulação carcerária; e Vulnerabilidades sociais e privação de liberdade.

A iniciativa de custear pesquisas na área visa aprimorar o sistema de Justiça, segundo o presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli. Ele abriu a reunião em que foi definida a lista dos temas que serão estudados pelo CNJ, responsável pela formulação das políticas judiciárias desenvolvidas conjuntamente com os tribunais.

“(A série Justiça Pesquisa) é um projeto que se iniciou em 2012 e seleciona quais pesquisas são contratadas para o aperfeiçoamento do sistema de Justiça, para a formulação de melhores políticas públicas, tendo em vista os direitos e garantias fundamentais e o atendimento à população para um melhor serviço do sistema de Justiça”, disse o ministro Dias Toffoli.

Além dos temas já definidos, nos próximos dias, o CNJ e os membros do Conselho Consultivo irão selecionar outros assuntos que irão integrar os estudos da Série Justiça Pesquisa, entre os quais, um relacionado ao desenvolvimento e utilização da inteligência artificial.

Participaram da seleção dos eixos temáticos a serem investigados os integrantes do Conselho Consultivo do CNJ, do qual fazem parte pesquisadores, professores universitários, magistrados, representantes do terceiro setor e da sociedade civil, além de técnicos do CNJ.

Leia mais: CNJ monitora andamento de pesquisas sobre o Poder Judiciário

O Conselho Consultivo é integrado pelo secretário especial de Programas, Pesquisas e Gestão Estratégica do CNJ, juiz de direito e professor de direito da Unimep, Richard Pae Kim, pelo professor titular e diretor da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, Floriano Peixoto Neto, pelo engenheiro e ex-secretário-executivo da Casa Civil, Carlos Eduardo Esteves Lima, pela secretária-geral do STF, advogada da União e professora de direito no Uniceub-DF, Daiane Nogueira de Lira, pela juíza federal Taís Schilling Ferraz, pelo doutor em direito tributário pela PUC-SP e coordenador do Núcleo de Estudos Fiscais da FGV, Eurico Marcos Diniz de Santi.

E, também, pelo reitor da Faculdade Zumbi dos Palmares e doutor em educação pela Universidade Metodista de Piracicaba, José Vicente, pelo professor da Faculdade de Direito da USP, Otávio Luiz Rodrigues Júnior, pelo desembargador federal e ex-presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), Paulo Sérgio Domingues, pela mestre em administração pública e presidente-executiva do “Todos pela Educação”, Priscila Cruz, pelo político e consultor empresarial e ex-ministro do Desenvolvimento Agrário (governo FHC), da Defesa e Segurança Pública (governo Temer), Raul Jungmann, pelo economista e ex-governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, e pelo doutor e mestre em direito constitucional formado pela PUC/SP, André Ramos Tavares, pelo ator Milton Gonçalves e pela doutora em direito pela USP, Nina Beatriz Stocco.

Editais

A partir da definição dos temas da quarta edição da Série Justiça Pesquisa, o CNJ lançará, em breve, editais públicos direcionadas a entidades sem fins lucrativos para a apresentação de proposta de pesquisa dos itens propostos. Após essa fase, as entidades responsáveis pelas pesquisas terão prazo de um ano para a apresentação dos resultados dos estudos.

Os projetos de pesquisa poderão ser apresentados por instituições de ensino superior e instituições incumbidas do ensino ou da pesquisa, podendo ser públicas ou privadas – desde que sem fins lucrativos.

Os editais anteriores de seleção de projetos de pesquisa foram lançados em 2012, 2015 e 2017. O mais recente edital resultou na contratação de instituições de pesquisa para investigar temas como a judicialização da saúde; justiça criminal, impunidade e prescrição; e mediação e conciliação, entre outros.

A Série Justiça Pesquisa foi concebida pelo Departamento de Pesquisas Judiciárias do CNJ a partir dos eixos estruturantes e complementares entre si “direitos e garantias fundamentais” e “políticas públicas do Poder Judiciário”.

Acesse aqui as publicações de pesquisas concluídas.

FGV e USP

Também durante a reunião, foi definido que a Fundação Getúlio Vargas (FGV) fará a pesquisa do tema “Impactos de meios alternativos de recuperação do crédito tributário e novos mecanismos de coerção do devedor nas execuções fiscais” e que a Universidade de São Paulo (USP) ficará responsável pelo estudo do tema “Aplicabilidade pelos tribunais da Lei Brasileira de Inclusão”.

Os temas a serem pesquisados por essas duas instituições constavam da lista de assuntos em análise pelo CNJ e Conselho Consultivo para a Série Justiça Pesquisa e, embora não tenham sido selecionados, foram assumidos pela FGV e USP devido à relevância social e ao impacto para o sistema de Justiça.

Luciana Otoni
Manuel Carlos Montenegro
Agência CNJ de Notícias

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisment -

Most Popular

Bruno revela o dia do anúncio da equipe de transição

O prefeito eleito Bruno Cunha Lima (PSD),  de Campina Grande, concedeu entrevista ao Programa Ideia Livre, da TV Itararé. Na sabatina feita...

ALPB suspende atividades presenciais após aumento de casos de Covid-19

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) suspendeu temporariamente as atividades administrativas presenciais após o registro de aumento do número de casos de...

Alerta para a ação de falsos fiscais agindo contra comerciantes

O Procon Campina Grande recebeu uma grave denúncia sobre a existência de pessoas que estão se passando por fiscais do órgão municipal....

Programa Minha Árvore prossegue nas ruas da cidade

"Minha Árvore" é o Programa Sustentável de Educação Ambiental da Prefeitura de Campina Grande, executado por meio da Secretaria Municipal de Serviços...

Recent Comments

John Doe on TieLabs White T-shirt